Sou Sou Tricolor: Quem vai ser nosso Kaká de 2015?

banner_sou_tricolor_2

Gil Ataíde Guerreiro cravou: Kaká não fica em 2015, e o São Paulo trará um nome de peso para seu lugar.

Já escrevi nesta minha coluna a respeito da importância de nosso camisa 8 para o Tricolor, quanto time e instituição. Dentro de campo, Kaká é a peça-chave da equipe, fazendo a transição vertical entre meio-campo e ataque, marcando e chamando a marcação dos adversários. Fora, eleva o valor da marca, trazendo holofotes para nosso time. Para se ter uma dimensão do tamanho de Kaká para o futebol, basta ver a festa que os chineses fizeram para ele antes, durante e depois dos amistosos disputados pela seleção brasileira na Ásia. Neymar ficou em segundo plano.

Dificilmente Aidar e companhia conseguirão encontrar um nome com tanta qualidade, representatividade e identificação com o Tricolor no mercado. Soma-se a esse fato a aposentadoria de Rogério Ceni, e teremos um time órfão no ano que vem. Mas isso é assunto para outro post.

Ignorando-se a pequena chance de encontrarmos algum jogador com todo o benefício extracampo que Kaká nos traz, vamos simplificar a busca para atletas que possam atuar de forma semelhante a que nosso meia faz hoje. Desde a confirmação da saída de Kaká em janeiro, muitos nomes começaram a ser especulados pela imprensa e sonhados pela torcida. Listo abaixo alguns nomes que caberiam (ou não) no Tricolor:

1- Hernanes- De longe, minha opção favorita. Um craque, com história no Tricolor, além de figuraça. Se viesse, poderia atuar em qualquer posição do meio-campo tricolor, embora no caso estejamos falando do substituto do meia Kaká. Mas esqueçam qualquer chance de negociação. Embora venha frequentando o banco de reservas algumas vezes na Inter de Milão, vale lembrar que o time italiano gastou 15 milhões de euros há menos de um ano para contar com o profeta, por um contrato que vai até 2018. Depois desse período, quem sabe Hernanes não volte para dar as últimas profecias da carreira no Morumbi?

2- Diego- Sonho antigo do Tricolor, e são-paulino na infância. Sempre foi bom jogador, e poderia até ter ido para a última Copa, depois de um ano razoávelmente bom no vice-campeão da Champions League e campeão espanhol Atlético de Madri. Razoavelmente porque Diego era mais reserva do que titular. Tanto que o time de Miranda não fez grandes forças para conter a ida do jogador ao Fenerbahçe. E justamente por causa dessa recem-chegada ao time turco que Diego também é carta fora do baralho no Tricolor. Para não falar nos seus altos vencimentos, que o impediram até de fechar com o time da baixada.

3- Cleiton Xavier – Não sei porque este jogador conta com a simpatia de tanta gente, seja torcedor do São Paulo, seja de qualquer outro time. Foi bem no Figueirense, na SEP, e vai bem na Ucrânia, mas nunca o vi como brilhante. Me lembra bem um jogador que

recentemente estava no Tricolor, que chuta razoavemente bem, passa razoavelmente bem, e que fez carreira na Ucrânia depois de um breve sucesso em time médio brasileiro. Sabem de quem estou falando? Dica: consegue ser reserva do Danilesma atualmente…

4- Wellington Nem – Muito bom jogador, apesar de não ter exatamente as características de Kaká. É mais do estilo Lucas (não cogitarei sua vinda neste post), variando entre 2º atacante e ponta de lança. Por muito pouco não voltou ao Fluminense no meio do ano. Passado o momento mais turbulento da crise na Ucrânia, pode ser que o atleta nem cogite mais voltar ao Brasil. Viria por empréstimo, visto que o São Paulo não tem verba para grandes contratações. Se aceitasse vir, eu toparia na hora.

5- Bernard – Alegria nas pernas, tristeza na Copa. Tal qual Jô, por exemplo, foi claramente superestimado depois de ir bem no arrumado time do Atlético, campeão das Américas no ano passado. Pobre Felipão, que acreditou e o convocou. Pobre Shaktar, que gastou uma fortuna na sua contratação. Bernard é outro que quase voltou no meio do ano, e outro que só viria por empréstimo. Na minha opinião, se aceitasse se enquadrar na folha salarial do futebol brasileiro, poderia ser uma boa contratação. Mas não está entre minhas opções favoritas.

6- Diego Souza – Outro que vira e mexe tem o nome ligado a um suposto interesse Tricolor. Tem talento, mas falta intensidade. Seria para-raio de críticas na primeira má fase, e o elenco do São Paulo já está cheio de figuras nesse papel. Leia-se Luis Fabiano, Pato, Ganso e etc. NÃO!

7- Montillo – Talvez a opção mais certeira, levando-se em conta viabilidade econômica e qualidade de jogador. Quase pintou no Tricolor, depois de jogar muita bola no Cruzeiro. Acabou indo pra baixada santista, de onde saiu após um ano. Começou mal na Vila Belmiro, mas estava voltando a mostrar futebol quando foi para a China. Parece não estar bem por lá. Apesar de titular, foram apenas 2 gols em 30 jogos no ano, um deles de penalti. A má fase poderia facilitar o retorno ao Brasil. Seria a minha aposta.

8- Thiago Neves – Jogador bom, mas inconstante. Já vi Thiago Neves jogar muita bola no Fluminense, e ir bem no Flamengo, mas ser medíocre nos mesmos dois times, em diferentes épocas. Deve receber um dos altos salários do mundo árabe, mas já está por lá há mais de um ano, o prazo que mais ou menos os brasileiros costumam se segurar por lá. É outro que não faz exatamente a função de Kaká, sendo mais parecido com Ganso, com menos condução de bola, e mais passe/armação. Mas talento tem.

9- Taison – Caso muito parecido com os de Bernard e Wellington Nem. Jovem, driblador, jogando na Ucrânia e caro. Boa, mas aparentemente inviável, opção.

10- Guilherme – Outra opção do mercado brasileiro, Guilherme, do Galo. Apesar de ter ajudado a eliminar o SCCP na semana passada, e de fazer um bom campeonato brasileiro, o atacante/meia me chamava mais a atenção quando jogava no Cruzeiro, desde a base. Venceu a Copa São Paulo de Juniores em 2007, vencendo na final o Tricolor do zagueiro Breno. Fez ótimos campeonatos brasileiros em 2007 e 2008, que o fizeram ser vendido para a Ucrânia. Na volta ao Brasil, nunca teve muito destaque,

sendo mais reserva do que titular no time de Ronaldinho, Bernard, Tardelli e Jô. Tem contrato só até março, o que poderia facilitar a vinda. Mas certamente o Tricolor enfrentaria concorrência caso se interessasse. Vale a consulta.

11- Wagner – Outro que é mais parecido com Ganso do que com Kaká. Pus na lista porque quase veio para o Tricolor no inicio do ano, em troca por Osvaldo. Mas poderia jogar com Ganso. Basta ver que faz um bom campeonato, mesmo atuando ao lado de Conca. O Fluminense aliás pode virar uma boa vitrine de jogadores, já que a Unimed pretende cortar gastos no futebol no ano que vem.

12- Valdivia – Última opção, em todos os sentidos. Está listado pois, segundo o jornalista Benjamin Back (Estádio 97 e Fox Sports), poderia entrar numa lista de desejos do Tricolor, assim como já ocorreu com Kardec e Wesley, por exemplo. Tem contrato com a SEP só até agosto de 2015. Não tenho a menor admiração por este jogador. Consegue desrespeitar São Paulo, SCCP e SEP ao mesmo tempo. Para mim, o grande símbolo da fase sem glórias que vive o time verde. Esperanças depositadas em um cara que mal joga. Mesmo quando atua, não vejo esse brilho todo que muitos gostam de falar. Basta ver os números: em 2014 foram 4 gols em 24 jogos. Somando-se todos os 5 anos dessa sua 2ª passagem pelo porco, foram 17 gols em 132 jogos, o que dá uma média pífia de 3,4 gols e 26,4 jogos por ano. Lembrando que consta aí uma série B. Rídiculo.

Doze nomes, lembrando-se que contamos no elenco com um bom Michel Bastos e um promissor Boschilla, que cada vez mais parece ganhar espaço. Mas o São Paulo precisa de plantel, especialmente com a possibilidade de saídas do insatisfeito Luis Fabiano e do ainda emprestado Pato. Além disso, o Tricolor PRECISA se livrar do desgastado Osvaldo e da mentira-ainda-não-descoberta-pelos-europeus, Ademilson. Corre Aidar! A Libertadores 2015 já começou…

Por: Wagner Moribe

wmoribe@hotmail.com

twitter.com/wmoribe

 

Share Button

Viagens ao Submundo – Dinamite

viagens

Dinamite

 

Uma marca. Uma essência. O que realmente importa para quem é importante. O que realmente importa de quem é importante.

Naquelas escolhas diárias do respirar, dos passos e direções, nos vemos diante das palavras que realmente devemos utilizar no momento específico, para as pessoas específicas, junto a um emaranhado de colocações indevidas, imprecisas, oriundas de vícios e manias, sentimentos momentâneos e outras particularidades mais que interferem nos atos.

Por mais clara que seja a luz do pensamento real que dita e regra os traços e movimentos da face boa de cada ser, como nas crenças e culturas, tanto em escrituras sagradas e livros de leis humanas, há o peso do imperfeito e dos inúmeros limites. O passe mal dado, o chute torto, o cruzamento pífio, a furada da zaga, a saída errada do gol.

É aquele escorregão, mesmo que com travas ideais para o campo molhado. O acidente, a falha, o normal de uma infinidade de acontecimentos corriqueiros.

Há futebol num todo de uma vida. Porque você dribla as infelicidades com seu sorriso para a manhã de um novo dia de esperança. Você chuta firme para o gol que te garantirá pontos positivos na empresa, ratificando sua titularidade. Aquele passe de maestro, que deixa seu filho na cara do gol, quando ele compreende seus ensinamentos e passa a seguir um novo e brilhante trajeto rumo a um futuro repleto de ótimas possibilidades.

Que esporte!

E levar na esportiva quando lhe arrancam o sorriso nas derrotas de seu time, evitando que aquela raiva levemente incoerente seja raiz de atitudes infelizes, é dar forças àquela Fé que garante o ingresso para a próxima partida.

A imponência do Bem diante de um Mal raquítico tem que ser sempre levada em conta.

Digo isso também porque me lembro de algo que um dia li, ou ouvi, ou foi numa aula da escola, ou numa palestra, ou numa conversa de bar… falha da RAM que existe na ROM… enfim, parece que fiquei sabendo porque me disseram, e não porque inventei… mas, a pessoa que apresentou o assunto falava de Nobel.

O inventor da dinamite focou simplesmente no uso benéfico da criação, que, por causa da humanidade e suas coisas humanas, também se tornou objeto de guerra e destruição.

Em virtude do desvio ocorrido, de outra forma o químico queria ser lembrado. Surgiu então a premiação considerada a mais importante do mundo para os fins mais importantes.

Esses, por sua vez, englobam benefícios, ou seja, destacam o Bem.

O nome Nobel, de um modo geral, é mais relacionado aos fatos mais valiosos nos acontecimentos bons da vida.

Então, o que diremos sempre daqueles que valorizamos, que damos importância maior, ainda que vez ou outra nos posicionemos em impedimento por falta de atenção, é o que vem do coração.

Ainda que da boca saiam bobagens, ainda que pelos dedos as teclas equivocadas sejam digitadas, sabemos que do nosso interior somente uma é a verdade.

E assim permanecerá sendo.

Porque, dentro da gente, é cantado o parabéns eterno aos heróis.

Cada gol de Ceni merece um Nobel.

 

Ronnie Mancuzo – Sub

———————————————————————————- 

Frase do dia:

“Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosas velas amarelas romanas explodindo como aranhas através das estrelas.”

Jean-Louis Lebris de Kerouac – ‘Jack Kerouac’ (12 de março de 1922 – 21 de outubro de 1969)

Share Button

Auro é convocado para torneio da Seleção Sub-21

Auro

O Tricolor terá um representante no Torneio Internacional Sub-21, que será disputado na China. O jovem Auro, revelado no Centro de Formação de Atletas Laudo Natel, em Cotia, foi convocado pelo técnico Alexandre Gallo para defender a Seleção Brasileira na competição.

De acordo com a programação da Confederação Brasileira de Futebol, a equipe fará um período de treinos em Manchester, na Inglaterra, com duração de quatro dias, antes de seguir para a Ásia. O torneio em território chinês será disputado entre os dias 8 e 18 de novembro.

Desta forma, o jogador desfalcará o São Paulo em pelo menos três duelos do Campeonato Brasileiro de 2014. No dia 8 de novembro, pela 33ª rodada, os paulistas visitarão o Vitória. Depois, no dia 16, o adversário será o Palmeiras. Por fim, pela 35ª rodada, o Tricolor receberá o Internacional no dia 19.

Em junho deste ano, sendo um dos atletas mais jovens da delegação, Auro foi campeão com o Brasil no tradicional Torneio de Toulon, na França. Na volta, alguns meses depois, o camisa 26 recebeu a primeira oportunidade no Tricolor e agarrou a chance. Foi titular em sete partidas consecutivas e mostrou ao técnico Muricy Ramalho que tem condições de ser o futuro dono da lateral direita são-paulina.

Confira a lista com os 23 atletas convocados:

  • GOLEIROS
  • Andrey (Botafogo)
  • Tiago (Grêmio)
  • Marcos (Fluminense)
  • ZAGUEIROS
  • Eduardo (Internacional)
  • Marlon (Fluminense)
  • Nathan (Palmeiras)
  • LATERAIS
  • Auro (São Paulo)
  • João Pedro (Palmeiras)
  • Lorran (Vasco da Gama)
  • Matheus Muller (Palmeiras)
  • MEIO CAMPO
  • Danilo (Braga-POR)
  • Eduardo Henrique (Atlético Mineiro)
  • Lucas Evangelista (Udinese-ITA)
  • Matheus Biteco (Grêmio)
  • Nathan (Atlético Paranaense)
  • Marcos Guilherme (Atlético Paranaense)
  • ATACANTES
  • Carlos (Atlético Mineiro)
  • Gabriel (Santos)
  • Gerson (Fluminense)
  • Kenedy (Fluminense)
  • Thalles (Vasco da Gama)
  • Yuri Mamute (Botafogo)
  • Malcon (Corinthians)

Fonte: Site Oficial

Share Button

Médico veta participação de Alexandre Pato contra a Chapecoense

Pato

Ainda não será na quarta-feira que o atacante Alexandre Pato retornará ao time do São Paulo. Com um edema na coxa esquerda, sofrido no confronto da última quarta, diante do Huachipato, pela Copa Sul-Americana, o camisa 11 já foi vetado pelo departamento médico para a partida contra a Chapecoense, que será disputada em Chapecó, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

– Para quarta-feira não tem nenhuma chance. Ele está fazendo tratamento e não temos de apressar nada – afirmou o médico José Sanchez.

Na vitória por 2 a 1 sobre o Bahia, no último sábado, no estádio do Morumbi, Muricy Ramalho utilizou Michel Bastos na vaga do atacante. Só que o camisa 7 levou o terceiro cartão amarelo e terá de cumprir suspensão automática no meio de semana. Isso deixa a dúvida na cabeça do treinador, que tem três opções para montar sua equipe.

Se optar por uma formação ofensiva, ele tem Luis Fabiano e Osvaldo como opções. O camisa 9, aos poucos começa a retomar sua forma física e, se entrar, obrigaria Alan Kardec a jogar mais aberto pelas pontas. Já Osvaldo jogou como titular nas partidas contra Huachipato, no Morumbi, e Atlético-MG, no estádio Independência, e não teve boa atuação.

Muricy ainda pode escolher uma formação mais defensiva, já que atuará fora de casa diante de um time que complica muito quando é mandante. Neste caso, a opção seria Maicon, que foi titular enquanto Souza esteve na Seleção, e teve seu desempenho muito elogiado pela comissão técnica.

O time volta aos treinos na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. Com 52 pontos, o Tricolor está na vice-liderança do campeonato, sete pontos atrás do Cruzeiro.

Fonte: globo.com

Share Button

Coluna do Zanquetta: Informações Tricolores

zanca

Casa da Mãe Joana. A ponderação da retirada da música do ACDC pedida por Ceni foi um assunto no Conselho Deliberativo como muitos outros. Mas, hoje, o SPFC virou a casa do Mãe Joana e todos os assuntos vazam, principalmente os polêmicos. Este foi apenas mais um.

Acesso mais fácil e mais bilheteria? Depois de adiarem em muito a construção do metrô que chegaria ao Morumbi, agora deram novo prazo: 2017. O Tricolor que já arrebenta em bilheteria, se ainda tiver o plus do acesso do metrô, tende a ser cada vez mais líder em bilheteria no país.

Renda do último jogo de Ceni. Numa boa, Ceni já não ganha o suficiente e as contas do clube já não estão ruinzinhas para dar a renda do último jogo de Ceni para ele? Faz sentido isso? Para mim, é hipócrita da parte de Aidar.

Zagueiro. Para surpresa geral, o São Paulo não sabe se trará zagueiro em 2015. Ataíde pensa em manter o time e Muricy quer um zagueiro pela esquerda. Se não vier volante e zagueiro eu acharei que tem gente louca por lá…

Roni. Jovem e habilidoso, o meia fez bom campeonato em 2013 pelo Goiás e em 2014 pela Ponte. O que esperam para darem chances em 2015?

Ademilson. Muitas sondagens chegaram pelo atacante que se destaca na base da Seleção. É questão de tempo até o vendermos.

Luis Fabiano. Novamente o atacante que eu gosto muito e queria que continuasse, começa com suas papagaiadas. Já começa a espalhar que não sabe fica em 2015, que ele não está feliz etc. Feliz eu também não estou com ele tendo ficado grande parte do ano machucado, por ter sido expulso, não rendido nos momentos decisivos etc. No final do ano passado, desejei ficar com Aloisio ao invés dele e hoje vejo que não estava errado. O Boi hoje seria utilíssimo neste time.

Montillo. Muricy deu Montillo como nome alternativo a Cleiton Xavier como substituto de Kaká. Algumas horas eu acho que o Muricy é louco…o argentino já não joga futebol em bom nível desde 2011. Além de caro, pode gerar ciumeira e será um peso morto.

Hudson. Acertada a decisão de manter e renovar o jogador. Boa notícia para o plantel do São Paulo.

Edilson e Lucas. Os laterais são cotados e foram oferecidos. Lucas, mais jovem, tem a preferência de Muricy.

Ilsinho. Muita gente especulou Ilsinho no São Paulo na última semana. Eu particularmente não sei nada dele. E se fosse para optar por ele ou Wesley que atuam por aquele setor e podem alternar ala e meia direita, eu ficaria com Wesley. Mas, vou explicar de novo o caso dele…

Caso Wesley. Na última semana, anunciei o problema que há hoje em torno de Wesley. O Palmeiras quer contar com o jogador que já assinou pré contrato. Porém, em prol de uma trégua com Nobre e com o time verde, o São Paulo pode abrir mão de Wesley e por um valor em dinheiro também. Isto selaria a paz entre os clubes e poderia manter o atleta que voltou a ganhar prestígio com Dorival, seu velho conhecido.

Jefferson. Indiscutivelmente eu traria o goleiro para o São Paulo. É trabalhador, quieto, humilde, de grupo e discreto. Para substituir Ceni, nada melhor que alguém com este perfil e chega com  moral de ter vindo de Copa e ser titular da Seleção Brasileira atualmente. Nome perfeito.

Breno. Está perto seu retorno ao Brasil e ao São Paulo. Minha expectativa sobre ele hoje? Zero. Ele terá que se readaptar à liberdade, ao Brasil, passará por mil entrevistas, julgamentos, será alvo de dedos apontados, críticas, piadas etc. Há muito além de treinar, ficar em forma e adquirir ritmo. Futebol ele tem. Carinho ele terá. Mas, internamente, já contam com dar outra chance como por exemplo na base se o futebol não vingar. Tal qual fizeram com Narciso no Santos. Sem muita expectativa, não há decepção. Espero que Aidar compre sua situação e não a vincule politicamente a JJ. É claro que torço demais para que dê certo mas sem angústia para isto. Teremos Paulistão para testes e retorno.

Wellington. Depois de sequenciais lesões que tiraram seu bom futebol no São Paulo, Wellington que já tinha tratativas iniciadas de negociação com o Inter para permanecer por lá, sofreu nova lesão. Inacreditável. Não posso crer que o São Paulo não saiba curá-lo. Para mim, mais parece que o jogador é nosso Valdivia…e justo no momento que ele tinha mais confiança por lá. Ao menos, o salário dele é pago pelo Inter e o contrato dele dura 1 ano.

Grana. O Tricolor contará com um acréscimo no cofre de R$ 20 milhões. Vendemos mais PPV que a meta e conseguiremos esta quantia que será com certeza um baita alívio financeiro. As contas de 2014 estão cada vez mais próximas de ficarem equilibradas e balanceadas segundo os números que Aidar tinha dito. Mas, agora ele veio à público dizer que ficaremos no vermelho. O que houve com o dinheiro das vendas dos jogadores, do PPV, da TV? É como sempre afirmo: é fácil jogar números no microfone e na mídia. Criticar é fácil. Administrar não é tão simples…

Patrocinador Master. Depois de anunciar que o rodízio de marcas era o mais seguro, nesta semana, o diretor de marketing afirmou que o caminho pode ser outro. Eu sinceramente não entendo o que acontece com essas pessoas. Vão à televisão, falam coisas, dizem informações, divulgam interesses e anseios e na outra semana mudam tudo. Como querem passar alguma credibilidade para o mercado? Agora querem dar foco às mídias sociais. Ok. Acho válido também. Mas tem que se passar confiabilidade.

Adidas, Puma e Under Armour. Vendo a repercussão que terá negativamente se rescindir com o SPFC da forma que pinta, a Penalty pensa em manter o contrato e vem cozinhando o SPFC pagando um pouco, mantendo o contrato no limite. Mas, o São Paulo não quer dar mole e pretende rescindir na força e mediante alguma artimanha legal que Aidar entende ser possível. A conferir. Até o momento, nada decidido ao contrário do que muitos levianamente anunciam. Tanto que nós estamos vendo a quantidade de reviravoltas que estamos tendo com o caso. Até programação da Penalty para lançar novo uniforme já existe.

Alexandre Zanquetta

alexandrezanquetta@uol.com.br

twitter.com\blogdosaopaulo

twitter.com\saopaulinosrio

Share Button

Sem Michel Bastos e Pato, Luis Fabiano pode ter chance contra a Chapecoense

Luis Fabiano

Michel Bastos e Alexandre Pato devem desfalcar o São Paulo no jogo de quarta-feira, contra a Chapecoense, em Chapecó, pelo Campeonato Brasileiro. O primeiro está suspenso e o segundo, com edema na coxa esquerda. O cenário abre espaço para o retorno de Luis Fabiano ao time.

Contra o Bahia, no sábado, o técnico Muricy Ramalho escalou Michel Bastos justamente na vaga de Alexandre Pato, que está em tratamento médico. Jogou com três meias, já que Kaká retornou da Seleção Brasileira, mas agora as opções estão reduzidas, aumentando as chances do Fabuloso.

No lugar de Alan Kardec, concorrente automático do camisa 9, Muricy disse que ainda não é o momento, pois, apesar de Kardec está há dez jogos sem marcar gol, ele ainda vê muita importância do atacante para o time. Mas deixou claro que os dois podem jogar juntos.

– Podem jogar juntos. Claro que quando joga Kardec e Pato, Pato se mexe muito, Kardec também. Tudo é possível – afirmou Muricy.

Sobre Luis Fabiano, o técnico disse que o centroavante voltará a ter chances no time e pode se firmar novamente como titular.

– Tudo aqui muda, quando o cara vai para dentro de campo, no dia a dia também e arrebta. Não tem pressão, nada. Joga o que vem aqui e trabalha bem, duro, faz bom ambiente e no jogo faz a diferença. Esse cara tem lugar aqui, o que não tem, vai ter dificuldade. O Luis sabe que quase fez o gol (contra o Bahia) e já, já muda minha maneira de pensar. Vou colocar ele, ele sabe disso, e vai ser difícil tirar ele – analisou o técnico.

São Paulo enfrenta o Chapecoense na quarta-feira. A reapresentação é nesta segunda-feira à tarde e na terça o time viaja para Santa Cantarina. Por conta do curto tempo, Muricy não deve ter Pato, que ainda precisará de mais tempo para se recuperar.

Fonte: Lancenet

Share Button

Rogério: “Foi um gol bonito e importante”

Rogério

Sob os gritos de “Oooo, não para, Rogério”, que ecoou nas arquibancadas do Morumbi na noite deste sábado (18), o Tricolor derrotou o Bahia por 2 a 1 e reassumiu momentaneamente a segunda colocação do Campeonato Brasileiro de 2014. E o autor do primeiro gol da partida, que abriu o caminho para a importante vitória, enalteceu a postura da equipe são-paulina.

Contente com o gol e, principalmente, pela forma como o time soube conduzir a partida, o goleiro Rogério Ceni deixou o gramado muito satisfeito com o triunfo.  “Fico contente pelo gol. Tivemos um bom público hoje, que nos incentivou bastante. Espero que a gente consiga colher frutos até dezembro, porque temos condições para isso”, afirmou o camisa 01, que acrescentou.

“Foi um gol bonito e importante. A posição para a cobrança era muito boa. A barreira estava próxima, mas a posição para a batida facilitou bastante. Neste ano, a bola ainda não havia entrado de falta, mas eu nunca deixei de treinar. A posição ajudou muito. Foi uma boa batida”, completou Rogério, que valorizou o desempenho de seus companheiros.

“Pelas características dos jogadores, hoje não tivemos um time velocista. Foi opção do Muricy, mas todos os meias souberam tratar bem a bola. Todos entraram tocando pelo meio e buscaram os espaços”, finalizou o M1TO, que não marcava um gol de falta desde julho de 2013, contra o Vitoria (3 x 2), na estreia do técnico Paulo Autuori, no dia 14 de julho de 2013 .

 

Fonte: Site Oficial

Share Button

Análise UOL – São Paulo 2×1 Bahia

Com golaço de falta de Rogério Ceni, São Paulo derrota Bahia no Morumbi

Por: UOL

Rogério Ceni

 

Foi o goleiro do São Paulo que abriu caminho para a vitória de sua equipe por 2 a 1 sobre o Bahia neste sábado, pelo Brasileirão, no Morumbi. Em se tratando de Rogério Ceni, porém, não foi só com defesas – o capitão são paulino marcou um belo gol de falta, seu 123º com a camisa tricolor; Ganso marcou o segundo, que garantiu os importantes três pontos para o clube, que ainda sonha com o título da competição.

Os comandados de Muricy Ramalho foram a 52 pontos, e torcem por um tropeço do líder Cruzeiro (56) para encurtar a distância e aumentar as chances de uma ultrapassagem na reta final do campeonato.

Os baianos, por sua vez, ficaram estacionados nos 30 pontos, dentro da zona do rebaixamento. Agora, torcem por maus resultados de Botafogo e Coritiba, que também estão na zona da degola, com 29 pontos.

Fases do jogo: O São Paulo controlou a primeira etapa, com muito mais posse de bola e passando a maior parte do tempo no campo de ataque. Teve, porém, dificuldades para furar a defesa do Bahia, e não conseguiu criar muitas chances.

Quem levou mais perigo nas ações ofensivas são paulinas foi Michel Bastos – primeiro em uma boa tabela com Kaká, depois com Ganso. Nas duas ocasiões, Marcelo Lomba apareceu para fazer a defesa.

Se se defendiam bem, os baianos praticamente não levavam perigo: um chute de longe de Diego Macedo, outro de Henrique; nada que assustasse Rogério Ceni. O goleiro só apareceu no jogo quando balançou as redes.

Ganso arriscou de fora, e a bola bateu na mão de Rafael Miranda – falta. Rogério cobrou com muita categoria, no ângulo direito de Lomba, que chegou as tocar na bola, mas não evitou o gol. 1 a 0 São Paulo, aos 39 do primeiro tempo.

No começo do segundo tempo, o São Paulo quase marcou, novamente na bola parada. Desta vez, em cobrança de escanteio, Edson Silva quase alcançou a bola a tempo de empurrar para as redes.

Em uma rara subida ao ataque, Diego Macedo teve a primeira grande chance para os visitantes, acertando um forte chute da entrada da área. Rogério mergulhou e fez uma bela defesa, espalmando a bola.

Luis Fabiano teve chance de matar o jogo aos 25 minutos da etapa final, após bela jogada de Alvaro Pereira pela esquerda, mas acabou batendo para fora e perdendo uma chance incrível. Ganso, aos 34, não cometeu o mesmo erro: de pé esquerdo, bateu da entrada da área com precisão, no canto esquerdo.

Fahel ainda descontou para o Bahia, aos 42 da segunda etapa, aproveitamento uma desatenção da zaga tricolor. Sem precisar nem saltar, cabeceou no cantinho, sem chances para Ceni, após cruzamento da esquerda. Foi pouco para evitar a derrota.

O melhor: Rogério Ceni (São Paulo) – Sua equipe era melhor no jogo, mas não conseguia criar chances claras. Coube ao capitão resolver o problema, com uma linda cobrança de falta, no ângulo do adversário Marcelo Lomba. A batida foi de longe, quase da intermediária, um golaço. Rogério ainda fez uma bela defesa em chute de Diego Macedo, evitando o empate.

O pior: Rafael Miranda (Bahia) – perdido no meio de campo, viu os adversários tocarem a bola durante praticamente toda a partida. Ainda esticou o braço ao marcar Ganso, e viu sua mão ser atingida pela bola, gerando a falta que resultou no primeiro gol são paulino.

Toque dos técnicos : Muricy manteve o esquema tático, com a entrada de Michel Bastos na vaga do lesionado Pato. Michel se movimentou muito, e tentou criar jogadas de ataque. O São Paulo teve dificuldades, principalmente no primeiro tempo, diante de um Bahia muito fechado na defesa, mas marcou dois gols. Gilson Kleina, como era de se esperar, armou a equipe pensando em explorar os contragolpes diante do terceiro colocado no Brasileirão, fora de casa. Conseguiu um gol tarde demais e acabou saindo do Morumbi com a derrota.

Chave do jogo: a bola parada. O jogo foi truncado durante a maior parte do tempo. Se não fosse a qualidade de Rogério ao bater a falta, dificilmente haveria uma partida franca e com gols no Morumbi.

Pra lembrar:

Deja vú: Rogério marcou contra o Bahia também no primeiro turno – naquela ocasião, o gol foi de pênalti. O São Paulo venceu, em uma atuação que foi considerada uma das melhoras da equipe na primeira metade do Brasileirão.

Na trilha: o gol de Ceni foi o de número 123 com a camisa do São Paulo – agora, o goleiro está a cinco de alcançar Raí, outro ídolo do Morumbi.

Nervoso: Gilson Kleina gritou muito com seus meias. Chegou a dizer para Diego Macedo que ele estava “consagrando” os volantes são paulinos. Depois, a bronca foi em Marcos Aurélio.

De novo: mais um lance de bola na mão no Campeonato Brasileiro. Rafael Miranda pareceu não ter tido a intenção no lance que originou o gol de Rogério, mas a bola bateu em seu braço, que estava esticado, longe do corpo.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X BAHIA

Local: Morumbi, em São Paulo
Data/Hora: 18 de outubro de 2014, às 18h30
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Rodrigo F. Henrique Correa (ambos do RJ)
Gols: Rogério Ceni, 39’/1ºT (1-0); Ganso, 34’/2ºT (2-0)/ Fahel, 42’/2ºT (2-1)
Cartões amarelos: Michel Bastos, Kaká, Ganso, Maicon (São Paulo); Guilherme Santos, Rafael Miranda (Bahia)

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Hudson, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza (Maicon), Michel Bastos, Ganso e Kaká; Alan Kardec (Luis Fabiano).
Técnico: Muricy Ramalho.

BAHIA
Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Rafael Miranda, Bruno Paulista (Fahel) e Diego Macedo (Emanuel Biancucchi); Rafinha (William Bárbio), Marcos Aurélio e Henrique.
Técnico: Gilson Kleina.

Share Button

Preleção Brasileiro 2014: São Paulo x Bahia

São Paulo x Bahia

Após despachar o Huachipato e garantir presença nas 4ª de final da Sul Americana mais uma vez, o São Paulo recebe neste sábado a equipe do Bahia. Faltando 10 rodadas para o encerramento do campeonato, o Tricolor vem na 3ª colocação, com 49 pontos, 3 acima do Grêmio, 5º colocado. Já os baianos entraram no Z-4 na última rodada após derrota para a Chapecoense (30 pontos, 17º lugar).

Entre ausências e retornos, desta vez finalmente teremos mais dos segundos! Nada menos do que 6 jogadores reforçam o time e o banco de reservas: Kaká e Souza ficaram de fora por 3 partidas enquanto serviam o Brasil nas vitórias contra Argentina e Japão na Ásia; Ademilson retorna após servir a seleção olímpica; Luís e Maicon desfalcaram o Tricolor no Chile. Rafael Toloi também pode retornar após lesão, mas ainda não é certeza. A princípio, Edson Silva e Antonio Carlos começam a partida.

Por outro lado, Alexandre Pato foi vetado pelo DM do Tricolor, com edema na coxa esquerda, sofrida na última quarta. Sem nosso artilheiro no Brasileirão, Muricy pode escalar Luís Fabiano ou até mesmo o polivalente Michel Bastos. Aliás, Michel vem fazendo seus golzinhos atuando como meia, lateral esquerdo e até mesmo atacante… ótima contratação! Mesmo com o retorno de Souza, Hudson segue no time, mas improvisado na lateral direita na vaga de Paulo Miranda.

Devendo salários , o Bahia vive uma péssima semana: derrota no Brasileiro em casa, culminando com a entrada na zona de rebaixamento e derrota e eliminação nos pênaltis para os peruanos do Cesar Vallejo pela Sul Americana. Marcelo Lomba se destaca por crescer bastante em partidas contra os clubes grandes e com certeza dará muito trabalho aos nossos atacantes. Outro que chama a atenção é o atacante Henrique, aquele mesmo que surgiu como grande esperança para o futuro, mas que não era tudo aquilo.

O time vem desgastado pela maratona de jogos e também pela viagem ao Chile, mas de novo, será ótima chance para reduzir a vantagem do Cruzeiro e pressioná-los mais ainda! Ainda dá para sonhar com a taça, afinal somos o Clube da Fé! Vamos São Paulooooo! Rumo a mais uma vitória!! #3Cores1SóTorcida

Por: Leandro Teixeira

 

SÃO PAULO X BAHIA

Data/Hora: 18/10/2014, as 18h30min (horário de Brasília)

Estádio: Morumbi, em São Paulo/SP

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique/RJ

Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia/RJ e Rodrigo F Henrique Correa/RJ

São Paulo: Rogério Ceni, Hudson, Antonio Carlos, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza, Ganso e Kaká; Luís Fabiano (Michel Bastos) e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho

Bahia: Marcelo Lomba, Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Fahel, Rafael Miranda, Diego Macedo e Marcos Aurélio; Rafinha e Henrique. Técnico: Gilson Kleina

Transmissão: PFC

Share Button

Conselheiro do São Paulo quer acabar com rock na entrada do time

Hells Bells

Já virou tradição. Quando o São Paulo entra em campo, no Morumbi, a música que se ouve no estádio é “Hells Bells”, da banda de rock AC/DC. Mas essa prática pode chegar ao fim em breve, se depender dos conselheiros do Tricolor. A informação é do jornal “Diário de S. Paulo”. O som da banda australiana foi uma escolha do goleiro e capitão Rogério Ceni.

Em reunião do Conselho Deliberativo, o conselheiro Itagiba Francez criticou o som e pediu que a música seja abolida da casa são-paulina.

– Essa música é horrível e faz com que todo mundo se sinta em um enterro. Começa com uns sinos tocando. Depois, parece que entram no gramado os mortos, no caso, os jogadores. Só falta o caixão – disse.

O discurso ganhou o apoio de outros conselheiros, mas não do presidente Carlos Miguel Aidar. O rock segue garantido, pelo menos até a despedida de Rogério Ceni.

Fonte: globo.com

Share Button